Vinícola Santa Rita: um mimo para todos os sentidos

037A4790_resize

Vinícola Santa Rita: um mimo para todos os sentidos

 

Lembra quando, em suas viagens, você precisava escolher entre beber um bom vinho ou apreciar belas paisagens, ou a ir um bar, ou andar de bicicleta, ou conhecer a história da cidade? Pois o tempo de tantos “ou” ficou para trás. Agora é possível fazer tudo isso no Chile, mais especificamente na vinícola Santa Rita.

Ficou confuso? Não se preocupe. Cada atividade acontece a seu tempo. Mas antes de saber sobre o que fazer na vinícola Santa Rita, saiba um pouco mais sobre uma das melhores atrações turísticas do Chile.

A vinícola Santa Rita

Essa importante vinícola está situada a apenas 40 km de Santiago (a 50 minutos de carro) e atrai cada vez mais brasileiros. Não é à toa. A empresa, parceira da Destino Chile, fabrica alguns dos melhores vinhos do mundo e ainda conta com uma rica história, além de belos jardins e uma arquitetura de deixar qualquer um boquiaberto.

A história da vinícola começa antes mesmo de sua fundação e está intimamente relacionada à história do Chile. Foi lá que, em 1814, um grupo de 120 soldados chilenos que lutavam pela independência do país encontrou abrigo.

Eles se esconderam no porão da Hacienda de Paine, a fazenda que viria se tornar, décadas depois, a vinícola Santa Rita. A empresa recebeu esse nome em homenagem à Santa Rita de Cássia, uma santa que, reza a lenda local, protegeu os soldados naquele dia histórico. Ela é a “Santa das Causas Impossíveis”.

Se você é religioso, não pode deixar então de visitar a bodega de número 2 da vinícola (visita inclusa no tour que que fazemos por lá). Lá ficava a sede da Hacienda de Paine, onde os soldados se esconderam e foram salvos pela santa.

Para os não-religiosos a visita também é obrigatória. Além do valor histórico do local, trata-se de uma oportunidade única de apreciar três diferentes vinhos dessa vinícola de classe mundial: um Sauvignon Blanc, um Cabernet Sauvignon e, por fim, um gran reserva Carmenere.

 

Vinicola Santa Rita V

 

  • Paisagem deslumbrante

A visita à Santa Rita, entretanto, estimula muito mais do que o paladar. Outros sentidos também são agraciados. O jardim das variedades, por exemplo, é ponto de encontro obrigatório dos turistas.

De lá é possível ver a bela silhueta da Cordilheira dos Andes e se divertir com uma curiosidade muito especial. Nesse jardim foi descoberta a uva Carmenere. O Chile produz hoje mais de 80% dos carmeneres do mundo.

É um passeio obrigatório para os enófilos. Ah! Dizem os especialistas que o Chile produz os melhores carmeneres do mundo!

Dica especial: se quiser ver as parreiras cheias de uva, a melhor época do ano para visitar a vinícola Santa Rita é no verão. A colheita das uvas acontece sempre entre os meses de janeiro e maio.

 

Vinicola Santa Rita IV

 

  • Produção dos vinhos

Uma visita à uma vinícola não faria sentido sem uma aula prática de como os vinhos são produzidos, não é mesmo? Assim, logo após o passeio pelo jardim, os visitantes devem visitar a bodega 1.

Lá, um guia explica todo o processo de fabricação dessa bebida dos deuses, desde a chegada da uva recém-colhida até o processo de fermentação. Aqui fica outra dica especial: atente-se às paredes da bodega. Elas são feitas de “cal e canto”, uma mistura de areia, cal e clara de ovos.

Mas essa, é claro, é apenas uma parte do processo. Lembra da Hacienda de Paine? É lá que a mágica continua, com os vinhos fermentando em enormes tanques de aço inoxidável.

Os visitantes terão oportunidade de assistir ainda ao envase dos vinhos e conversar com o guia sobre as temperaturas ideais para a fabricação da bebida.

 

Vinicola Santa Rita II

 

  • Museu andino

A vinícola é bastante grande, por isso o ideal é que a visita aconteça sem pressa. Uma das atrações do espaço é o Museu Andino, com quase duas mil peças de arte pré-colombiana. Um muro de pedra de inspiração inca marca a entrada do museu, que guarda, entre outros objetos, moais de madeira trazidas da Ilha de Páscoa.

Outras opções muito interessantes são o restaurante Doña Paula (considerado o melhor restaurante fora de Santiago) e a loja de vinhos, onde o festival de degustações pode continuar, e onde é possível comprar os vinhos para se presentar ou dar de presente aos amigos e parentes que ficaram no Brasil.

Clique aqui para conhecer o tour que te leva para o museu Andino.

 

orcamento

 

Pedal Bar

O tour tradicional envolve as visitas às bodegas e é delicioso. Mas a vinícola Santa Rita guarda ainda um tour especial: um divertidíssimo passeio de bicicleta.

Pensando bem, “bicicleta” definitivamente não é a palavra ideal, já que não estamos falando da “magrela” tradicional. A pedalada acontece no “pedal bar”, um bar “móvel”, que circula o terreno da vinícola movido pelas pedaladas dos visitantes.

O esforço é mínimo e a diversão é máxima. O Pedal Bar é garantia de muitas risadas, muito vinho e muito deslumbre com o visual incrível que só a Cordilheira dos Andes pode proporcionar. O bar serve três tipos de vinhos aos seus clientes enquanto os leva (ou, na verdade, é levado por eles) até o museu andino, passando pelo pátio de Santa Rita, capela da Casa Real (uma bela construção em estilo neogótico) e, claro, pelas bodegas.

Saiba mais sobre como fazer esse passeio inigualável à vinícola Santa Rita, uma das grandes atrações do Chile.

 

Vinicola Santa Rita III

 


Veja também:

Valle Casablanca Chile – O lugar dos vinhos e da boa mesa

9,5 Motivos surpreendentes para visitar o Chile no verão

1 dia de passeio Inesquecível – Embalse el Yeso e Termas Colina


Receba nossa apresentação exclusiva com todos detalhes dos passeios para Santiago e região, fotos, itinerários, dicas e também tenha acesso ao nosso plano de descontos. CLIQUE AQUI e acesse!

 

 

Post Discussion

Be the first to comment “Vinícola Santa Rita: um mimo para todos os sentidos”

Share This