fbpx

O último artigo da nossa série “para casais” é cheio de polêmica. Dessa vez estamos aqui para fazer um alerta: NÃO passe sua lua de mel no Chile. Pode ser que você esteja achando que estamos loucos. Afinal, o Chile já foi eleito pelo site Fodor´s o melhor destino de lua de mel do mundo.

Nós sabemos que todos os anos milhares de casais decidem passar sua lua de mel no Chile. O problema que ninguém te conta são as consequências dessas escolhas. Mas nós estamos aqui para te falar a verdade. Veja agora 4 motivos para não passar sua lua de mel no Chile.

 

  1. Sair do hotel pode ser um problema

Não importa se você deseja um hotel cinco estrelas ou se prefere se hospedar num hotel econômico: escolher o hotel ideal no Chile é um pesadelo. Isso porque o país é repleto de destinos incríveis e, em cada destino, há um hotel deslumbrante.

Veja, por exemplo, o hotel Vik. Trata-se de um empreendimento futurista no meio de um dos mais prestigiados vinhedos do mundo.  Como se isso não fosse suficiente, os quartos (com janelões que vão do chão ao teto) têm vista para as lindas montanhas do Vale do Colchagua.

O teto do hotel é feito de titânio, que ganha absurdos tons dourados no pôr do sol. Há ainda uma piscina de borda infinita de granito, de onde se pode apreciar a natureza.

Ah! Cada quarto tem um estilo arquitetônico diferente. Resultado: ao invés de passear pelas vinícolas, é capaz de o casal escolher passar um dia em cada suíte, para conhecer todas.

Uma diária no Vik custa mais de R$ 2.000, mas há hotéis bem mais baratos que são igualmente charmosíssimos.

Veja, por exemplo, o Hotel Altiplanico Bellas Artes. O ambiente lembra um hotel-casa em estilo minimalista, com pequenos luxos simples, sem ostentação e com muita personalidade.

A fachada do prédio – finíssima – é de 1909, mas o hotel possui acomodações super modernas. E o melhor: as diárias do Altiplanico custam a partir de R$ 400.

Entendeu por que sair dos hotéis é tão difícil? Mas cá para nós… ficar trancado num quarto durante a lua de mel não é nada mau, hein?

 


blog-PlanejandoViagem-728x90_OFICIAL-02

 

  1. Depois da viagem você vai achar qualquer paisagem fora do Chile apenas trivial

Sabe aquelas cenas de cinema, em que um astronauta olha uma paisagem lindíssima (mas que só existe na computação gráfica)? Você vai se acostumar com essas paisagens… só que na vida real.

Uma vez no Chile você vai apreciar diferentes tipos de paisagens. E todas são  de tirar o fôlego. No deserto do Atacama, a impressão é de estar um território alienígena. A região do Salar do Atacama, por exemplo, tem piso irregular e exótico, pontilhado por oásis impossíveis de descrever, de tão belos.

Durante a noite, há um espetáculo à parte: o céu lotado de estrelas. O Atacama é um dos melhores lugares do mundo para observar astros e planetas, e ao lado de quem a gente ama fica tudo ainda mais bonito e romântico.

 

lua-de-mel-no-chile

 

  1. Passar pela imigração de qualquer outro país vai parecer complicado demais

O que você prefere fazer durante a lua de mel?

Se você marcou a quarta opção, passar a lua de mel no Chile não é para você. Ao contrário dos EUA e Europa, não é preciso nenhum visto para viajar ao Chile. Sequer é necessário passaporte. Os brasileiros precisam apenas apresentar o RG e pronto: “bienevenido a Chile”! Sem burocracia e sem estresse, para que o casal apaixonado preocupe-se apenas em ser feliz.

 

lua-de-mel-no-chile

 

  1. Não saber o que fazer durante a lua de mel no Chile

O que não falta no Chile são passeios românticos. Logo, esse é um ótimo motivo para não ir ao Chile: são tantas coisas para fazer que você pode terminar paralisado, sem saber para onde ir.

Se quiser arriscar assim mesmo, organize sua viagem por temas. Caso consiga se livrar da piscina aquecida do hotel, aproveite o primeiro dia para fazer uma imersão cultural e histórica, visitando o centro de Santiago e o bairro Bellavista.

Seja no verão ou no inverno, dê um pulinho nas praias de Viña del Mar e Valparaíso. Mesmo que não dê para dar um mergulho, a caminhada na orla das duas cidades vai fortalecer ainda mais a relação do casal.

Há ainda dois passeios obrigatórios na capital chilena. O primeiro é visitar uma vinícola e passear pelos parreirais, ver o processo de fabricação dos melhores vinhos do mundo e, claro, degustar essa iguaria dos deuses. Mais romântico, impossível.

Já o segundo passeio obrigatório é visitar as estações de esqui na Cordilheira dos Andes. Reza uma antiga lenda que acabamos de inventar que “casal que faz ‘esquibunda’ unido, permanece unido”.

Entendeu por que você não deve passar sua lua de mel no Chile? Agora, que tal alertar outras pessoas para que elas não corram esse risco? Compartilhe esse artigo nas redes sociais e ajude seus amigos que estão planejando a lua de mel!

 

lua-de-mel-no-chile

 

Reply or Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*