fbpx

Você já ouviu histórias incríveis dos amigos, viu fotos maravilhosas e está morrendo de vontade de viajar ao Deserto do Atacama. Mas, ao mesmo tempo, pensa: “Gente, é um deserto. Como posso me preparar para isso?”. Pois não precisa mais se preocupar. Confira 6 dicas valiosas para planejar sua viagem ao Deserto do Atacama

  1. Vá de avião até San Pedro do Atacama

Não, você não vai precisar atravessar o Chile de camelo (até porque camelo é coisa do Saara, não do deserto do Atacama).

O itinerário mais comum feito pelos brasileiros envolve pegar um voo para a capital do Chile, Santiago. De lá, o turista precisa fazer uma conexão para a cidade de Calama, que tem o aeroporto mais próximo da “cidade-base” do deserto, a simpática San Pedro de Atacama.

  1. Escolha a melhor época

O Atacama pode ser visitado o ano inteiro, mas ele também tem suas peculiaridades em termos de clima. Veja como o deserto se comporta em cada estação do ano e se programe:

  • Verão

De dezembro a fevereiro existe a possibilidade de ocorrer um fenômeno meteorológico chamado inverno altiplânico. O nome é complicado, mas o importante é: pode ser que chova. Muito! Torrencialmente! Portanto não custa levar uma capa de chuva, não é?

Dica bônus: as chuvas são intensas, mas bem raras. Então não se preocupe. A chance de um passeio ser cancelado por causa do aguaceiro é bem pequena.

  • Outono

Em março, abril e maio a temperatura costuma ser mais agradável durante o dia, e cair um pouco à noite, mas nada muito radical. Roupas leves, com algumas peças apenas para proteger-se da eventual chuva, já estão de bom tamanho.

  • Inverno

A temperatura costuma estar bem baixa nos meses de junho, julho e agosto. Os termômetros ficam abaixo de zero. A boa notícia: as chances de observar paisagens cobertas de neve aumentam bastante! Sim, é isso mesmo: você pode ter a sorte de ver nevar no deserto!

  • Primavera

Se você não gosta de mudanças bruscas de temperatura, essa é a época ideal. Além disso, o calor é refrescado pelos fortes ventos. É a época preferida dos visitantes do Deserto do Atacama.

 

 

  1. Passe pelo menos quatro dias no Deserto do Atacama

As viagens ao Atacama são longas. Por isso, o ideal é dispor de um pouco mais do que um final de semana para aproveitar seus encantos. O tempo mínimo recomendado é de 4 ou 5 dias completos.

  1. Facilite sua vida com agências de confiança

O que não falta no QG do Atacama (a cidade de San Pedro do Atacama) é agência de turismo para facilitar a vida dos visitantes. Afinal, o deserto é lindo mas precisa ser respeitado. Por isso não é uma boa ideia dirigir sozinho pela região.

Ao invés disso, o turista pode contratar passeios em alguma agência de turismo receptivo. Pesquise bem sobre a empresa antes de fazer a contratação e se certifique de que os guias são capacitados.

Dentre as opções disponíveis, destaca-se a agência Destino Chile, criada por um brasileiro e especializada no atendimento a esse público. A empresa realiza diversos passeios por dia para os segredos mais bem guardados do Atacama. Solicite um orçamento.

 

agencia-de-turismo-no-chile

 

  1. Programe seus passeios

O Atacama é cheio de surpresas, mas uma coisa é certa: você jamais ficará entediado. Veja um pacote básico de passeios para os turistas que vão ficar entre 4 e 5 dias no local.

 

  • Valle de La Luna

Uma imensa cordilheira de sal, com gigantescos paredões. Fica perto de San Pedro, e os mais aventureiros gostam de fazer o trajeto de bicicleta.

 

  • Valle de La Muerte

Não deixe de ver o pôr-do-sol com a Cordilheira dos Andes ao fundo, nem de fazer selfies na famosa Pedra do Coyote.

 

  • Geysers Del Tatio

Esse é o passeio mais frio de todos – mas também um dos mais divertidos -,  com temperaturas que chegam a ficar negativas. Portanto, prepare o casaco, a luva e o gorro. Ah! O ideal é chegar no local ao amanhecer, quando os geisers estão mais potentes.

 

  • Laguna Cejar

Se você não sabe nadar, não se preocupe, a lagoa é tão salgada que ao entrar nela o seu corpo não consegue afundar! Legal, né? Após o banho de água salgada, existem banheiros para jogar uma água doce no corpo e trocar de roupa. Se puder dar uma esticadinha no passeio, não deixe de observar o belo pôr-do-sol.

 

  • Salar de Tara

Mais de 4.000 metros de altura separam o Salar de Tara do nível do mar. Muitos dizem que esse é o passeio mais desgastante, porém um dos mais bonitos.

Durante o passeio você vai passar por vilarejos, cordilheiras incríveis, paisagens com sal incrustrado no chão, formações rochosas belíssimas, e pode até conhecer flamingos na Reserva Nacional Los Flamencos no Salar de Tara.

 

 

  1. Drible o “Soroche”

O mal-estar causado pela altitude pode incomodar. Mas felizmente os habitantes locais sabem bem como driblar esse fenômeno chamado de “soroche”.

O principal é evitar consumir tabaco, álcool, comidas gordurosas e fazer grandes esforços físicos nos primeiros dias da viagem. Além disso, mascar a folha de coca ou tomá-la em forma de chá pode ser uma boa ideia, se você não for muito conservador.

Ufa! Bastante coisa né? Mas quem vai não esquece nunca mais essa experiência ímpar. Tem alguma dúvida sobre como aproveitar ao máximo a viagem ao Deserto do Atacama? Deixe sua pergunta nos comentários.

Reply or Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*