fbpx

Você é daqueles que sonham em viver aventuras dignas das exibidas pelos programas Planeta Extremo (TV Globo) ou pelo canal Off, mas não sabe por onde começar? Pois agora você tem uma oportunidade única: visitar o Salar de Uyuni, na Bolívia, a partir do deserto do Atacama.

Aperte os cintos. Chegou a hora de realizar seu sonho. Você sairá do deserto mais seco do mundo para viver dias intensos e radicalmente lindos atravessando o maior “deserto” de sal do planeta. No meio do caminho será difícil, ao olhar o horizonte, diferenciar sal de céu. É a aventura de sua vida!

Pela primeira vez na história, a Destino cruzará as fronteiras do Chile para te levar para mais um passeio incrível,
O Salar de Uyuni, na Bolívia. Este imenso deserto é o que restou de um imenso lago pré-histórico que evaporou milhares de anos atrás.

Assim como os lagos do deserto do Atacama, esse lago pré-histórico também tinha alta concentração de sal. A água evaporou, mas o sal, não. O resultado são 12 mil quilômetros quadrados de uma brancura intensa, que parece tentar cegar quem dirige por esse saleiro gigante.

Estima-se que a região tenha mais de 60 bilhões de toneladas de sal. Isso seria suficiente para atender a demanda de toda a população brasileira por mais de 20 milhões de anos.

 

Melhor época para visitar o Salar de Uyuni

A melhor época para visitar o Salar de Uyuni é o verão. As temperaturas variam entre -5º de madrugada até os 20º durante o dia. Ou seja, desde que se esteja agasalhado, é perfeitamente tolerável.

Mas o principal não é a temperatura. É a chuva. O verão é a estação das chuvas no salar. E isso é uma coisa boa.

É que as chuvas criam imensas lagoas no Uyuni. O que em qualquer outro lugar do mundo seria um grande inconveniente, aqui é uma benção.

A água empoçada, com profundidade de poucos centímetros, cria um gigantesco espelho que reflete tudo ao seu redor. Certamente é um dos espetáculos mais bonitos da natureza. A maioria das fotos de agências de turismo foi tirada no verão justamente por isso.

 

salar-de-uyuni-bolivia

 

Como chegar ao Salar de Uyuni

Se há uma coisa tão famosa quanto a beleza do Salar de Uyuni, na Bolívia, é a dificuldade de chegar até ele por conta própria. Saindo de San Pedro de Atacama, a viagem de carro até a cidade boliviana de Uyuni, a 30 km do salar, é de mais de 500 quilômetros.

A duração da viagem é de aproximadamente 7h. Mas o problema não é a distância, e sim os “perrengues” na estrada. Apenas veículos com tração nas quatro rodas conseguem vencer o trajeto. Não há qualquer sinalização e, se nevar, a chance de você ficar ilhado no meio do nada é bem grande.

Resumindo: assim como no Salar de Tara, no Chile, não vale a pena ir por conta própria ao Salar de Uyuni, na Bolívia.

O melhor jeito de chegar no salar é contratando passeios em agências de viagens. A Destino Chile, por sinal, acaba de lançar esse tour, e a equipe está animadíssima com a novidade.

O trajeto é feito em parceria com uma agência local, já que a lei boliviana determina que apenas operadoras do próprio país podem fazer passeios no salar.

Se mesmo assim você quiser arriscar, a melhor rota saindo de San Pedro de Atacama é pegar a Ruta 23 até Calama e, de lá, a Ruta 21 até Ollagüe. A partir daí, permaneça na Ruta 701, passando por Vila Alota, Culpina K e San Cristóbal, até chegar na Ruta 5 que, finalmente, leva à Uyuni.

 

salar-de-uyuni-bolivia

 

Sugestões para 3 dias no Salar de Uyuni, na Bolívia

 

Dia 1

Outra vantagem de contratar passeios é a possibilidade de viver experiências incríveis antes mesmo de chegar ao salar. Já no primeiro dia, logo após atravessar a fronteira entre o Chile e a Bolívia, o tour entra na reserva Nacional da Fauna Andina Eduardo Avaroa, com incríveis tesouros naturais.

Destaque para as lagoas Blanca e Verde. A Blanca tem cerca de cinco quilômetros de largura e, nos dias de sol, parece ser prateada. Os visitantes ficam boquiabertos.

Já a lagoa Verde, também muito bonita, guarda uma maldição. Ela é tóxica, por conta da alta concentração de cobre em suas águas.

O primeiro dia guarda ainda outras surpresas, como o deserto de Dalí e as águas termais de Polques. As águas são pequenas piscinas com temperaturas superiores a 30º. É ótima para relaxar após horas de estrada.

A parada seguinte é o gêiser Sol da Manhã, onde se pode apreciar o espetáculo dos vapores de água “explodindo”. Encerrando o primeiro dia, visite a lagoa Colorida. No início do verão, os flamingos se reúnem ali para namorar. Aliás, quem não ia querer namorar nesse visual?

 

salar-de-uyuni-bolivia

 

Dia 2

No segundo dia, ainda a caminho do Salar de Uyuni, na Bolívia, aproveite para visitar as curiosas formações rochosas da Ciudad de Piedra. Pare na lagoa Vinto e na Isla Negra para se deliciar com o visual que mistura vulcões cobertos de neve, lagoa e flamingos.

No final da tarde, se já estiver perto do salar, assista ao pôr do sol nessa antiga lagoa pré-história. É uma experiência inesquecível. Mas não volte para o hotel ainda. Observe, depois que o sol desaparecer, o absurdo brilho de estrelas, galáxias e constelações, que são refletidas no espelho d´água.

 

salar-de-uyuni-bolivia

 

Dia 3

No último dia do passeio, já em pleno destino final, acorde o mais cedo que puder. Você não pode perder a beleza estonteante do amanhecer no salar.

À medida que o sol surge por trás das montanhas, há uma explosão de cores no céu, que se refletem nas águas rasas da região. A ilusão de ótica é surreal. Não é possível distinguir céu de chão.

Quando recuperar o folgo dessa experiência quase psicodélica, visite outros atrativos do salar, como o museu de Sal e o palácio da bandeiras.

 

salar-de-uyuni-bolivia

 

Baixe aqui PDF com a apresentação completa deste roteiro e FAQ

 

Dica: antes de viajar, dê uma olhada nas fotos dos turistas que já foram ao salar. Quando o sol está alto, é possível brincar com a ilusão de ótica provocada pela luz refletida no chão molhado. As poses “impossíveis” ficam engraçadíssimas.

Para finalizar, hora de comprar presentes. O melhor lugar é a feirinha de artesanato de Colchani, com várias peças feitas com lã de lhama. Tudo de muito bom gosto e preços bastante razoáveis.

Os quase 600 km que separam San Pedro de Atacama, no Chile, de Uyuni, no país vizinho, têm uma infinidade de atrações. Para descrever todas, seria preciso um artigo do tamanho do Salar de Uyuni, na Bolívia. Mas agora você já sentiu um gostinho da beleza do lugar.

 

salar-de-uyuni-bolivia

 

Já pensou você curtindo essa aventura? A Destino te leva!

Reply or Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*